Documentar e musealizar: proposta para o patrimônio arqueológico do museu de Arqueologia de Xingó (MAX/UFS)

H. R. S. Santos, E. C. Mendonça

Resumo


Os dados trabalhados neste artigo foram levantados durante a execução do projeto “A Musealização doPatrimônio Arqueológico em Sergipe: estudo de caso sobre os processos de documentação noMAX/UFS”. O intuito é analisar os pontos pertinentes ao processo de gestão do acervo que se encontraem fase de instauração no museu e apontar como os processos de documentação museológica podemauxiliar uma instituição museal a potencializar o seu acervo como indicador de memória. Afundamentação da pesquisa foi construída com base em textos teóricos e de experiências técnicas deoutras instituições de pesquisa que servem para elucidar e fomentar novas ações baseadas na interfaceentre a Museologia e a Arqueologia, já que ambas as áreas estão focadas na preocupação com apreservação do objeto e com a relação que este teve é terá com a sociedade. Por fim, serão tratados osresultados que encaminharam para o debate sobre os mecanismos de extroversão do conhecimento - pormeio dos processos de salvaguarda (neste caso os procedimentos relacionados à documentaçãomuseológica) e fazendo referência como atividade fim, a criação de um sistema informatizado de bancode dados para uma possível comunicação museológica abrangente.

Palavras-chave


Museologia; Patrimônio Arqueológico; Documentação Museológica

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena

Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.