Garangó: da personificação à desmistificação de uma lenda

Maria Luzia Oliveira Andrade

Resumo


Este trabalho analisa Garangó, personagem de Coivara da memória, de Francisco J. C. Dantas, como a representação da lenda do caipora. Com isso, a representação do interior centro-sul de Sergipe e de suas tradições aparecem como um painel cultural. A prática da coivara, hábito local de queimar a terra tanto com o objetivo de prepará-la para o cultivo quanto com o propósito de espantar os maus espíritos, associada à lenda do lobisomem e do caipora, criatura mítica responsável por tomar posse do espírito das pessoas, compõem e configuram um universo interiorano configurado nesta recente produção literária. Nesta representação, as lendas são construídas e reconstruídas através do poder (des)mistificador da memória do sujeito-narrador dessa obra.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.