Libélulas (Odonata) em subtropicais fragmentos de Mata Atlântica no Rio Grande do Sul, Brasil: diversidade sazonal e composição

Samuel Renner, Eduardo Périco, Göran Sahlén

Resumo


A Floresta Atlântica é um dos mais ameaçados ecossistemas da América do Sul, o qual demanda ações emergenciais para a proteção de seus remanescentes bem como a sua biodiversidade. Nessa situação, inventariamentos de espécies podem desenvolver um importante papel para o futuro, determinando áreas específicas que devem ser protegidas, bem como a composição e riqueza de espécies pode ser usada como indicador de um sistema saudável. Atualmente as espécies da Ordem Odonata da região Neotropical continuam pouco conhecidas e jamais foram utilizadas como ferramenta de análise de ambientes aquáticos particularmente na Floresta Atlântica Subtropical, presente na região Sul do Brasil. Uma pesquisa sistemática foi realizada em sistemas aquáticos de fragmentos florestais entre Março de 2011 e Fevereiro de 2012. Um total de 565 espécimes, pertencendo a 34 espécies, distribuidas em 6 famílias foram amostrados. Libellulidae foi dominante, com 14 espécies, seguida de Coenagrionidae, Gomphidae, Lestidae e Aeshnidae. Através deste inventário foi aprofundado o conhecimento sobre a composição de Odonata e desenvolvida uma análise estatística.


Palavras-chave


Entomologia, Ecologia, riqueza de espécies.

Texto completo:

Sem título

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.