Utilização de biossurfactantes produzidos a partir de resíduos agroindustriais na biorremediação do petróleo

Renara K. S. de Morais, A. K. S. Abud

Resumo


Os processos de biorremediação fazem uso de microrganismos para minimizar poluentes de hidrocarbonetos de petróleo, tornando-se uma alternativa estratégica às convencionais tecnologias para remediação de áreas contaminadas, com menor custo operacional e mínimos efeitos adversos ao ambiente. Este trabalho avalia o potencial de biorremediação por biossurfactantes produzidos em meio mineral suplementado com fontes alternativas de carbono, como vinhaça, manipueira e óleo residual de fritura. Quatorze microrganismos, selecionados pelo teste de biodegradabilidade em petróleo, na presença do indicador redox 2,6-diclorofenol indofenol (DCPIP), foram avaliados quanto à capacidade de remoção de solos contaminados com petróleo. Os resultados obtidos mostraram que os biossurfactantes em meio mineral suplementado com óleo e manipueira, em concentrações de 1,5%, conseguiram remediar o óleo da areia de praia contaminada pelo petróleo em cerca 83%, para o microrganismo isolado do solo. Esse percentual foi superior aos biossurfactantes comerciais ou sintéticos existentes e disponíveis no mercado.

Palavras-chave


Biossurfactantes; Resíduos agroindustriais; Biorremediação

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.