O manejo com a trituração da vegetação favorece o incremento de matéria orgânica e as formas de fósforo no solo

João Cordoso de Souza Júnior, Ana Carolina Maciel Braga, Cássio Rafael Costa dos Santos, Mário Lopes da Silva Júnior, George Rodrigues Silva, Vania Silva de Melo

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar os níveis de matéria orgânica e do fósforo com suas frações num argissolo amarelo sob cultivo de culturas anuais submetidos a pousios. A vegetação regenerativa nos períodos de pousio foi submetida aos manejos de corte, trituração e deposição sobre o solo ou queimada. Considerou-se, desta forma, três tratamentos: Sistema de corte e queima da floresta secundária (MQ); Sistema de corte e trituração da floresta secundária (MT); Floresta secundária em 40 anos de pousio (FS). Das amostras de solo de cada uma dessas três áreas, analisou-se: matéria orgânica (MO), fósforo total (Pt), fósforo total lábil (Ptl), fósforo orgânico lábil (Pol), fósforo inorgânico lábil (Pil) e fósforo disponível (Pd). Os maiores valores de Pt foram encontrados na FS devido ao maior estado de equilíbrio edáfico encontrado neste tratamento. O solo sob manejo com deposição de resíduos vegetais (MT) apresentou os maiores valores de matéria orgânica e das frações total lábil (Ptl), orgânica lábil (Pol), inorgânica lábil (Pil) e disponível (Pd) em comparação com o manejo de queima da floresta (MQ) em regeneração, que, por sua vez, em comparação com o solo de uma floresta em pousio há quarenta anos apresentou menores valores dessas variáveis analisadas, exceto para Pt. O manejo com a conservação dos resíduos vegetais no sistema mostrou ser benéfico quanto ao incremento de matéria orgânica e aporte de frações de fósforo no solo, opostamente ao que apresentou o manejo com queima da vegetação em regeneração.


Palavras-chave


sustentabilidade do solo, agricultura itinerante, fracionamento do fósforo

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.14808/sci.plena.2015.090201

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Scientia Plena
Licença Creative Commons
Todo conteúdo deste periódico, salvo quando explicitado de forma diferente, está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.