Scientia Plena https://scientiaplena.org.br/sp <p class="MsoNormal">Scientia Plena é uma publicação científica mensal, multidisciplinar, editada pela Associação Sergipana de Ciência, dedicada a ajudar e incentivar o desenvolvimento da ciência.</p> <p class="MsoNormal">Scientia Plena visa atingir um público amplo, composto de toda a comunidade científica envolvida na pesquisa e no desenvolvimento da ciência.</p> <p class="MsoNormal">Scientia Plena publica artigos de conteúdo original e inédito com resultados significativos em todas as áreas da ciência. Os artigos podem ser escritos em Português, Inglês ou Espanhol e devem ser enviadas para o Editor por meio de submissão eletrônica.</p> <p class="MsoNormal">Scientia Plena está indexada nas seguintes bases de dados e diretórios: DOAJ, Latindex, CAS, InfoBase Index, Revistas no SEER-IBICT.</p> <p class="MsoNormal">Título abreviado: Sci. Plena </p> pt-BR <p>Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:</p> <ol> <li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li> <li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado.</li> </ol> scientiaplena@gmail.com (Carlos Alexandre Borges Garcia) scientiaplena@gmail.com (Carlos Alexandre Borges Garcia) qua, 20 mar 2024 18:24:54 -0300 OJS 3.2.1.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Uso de macroinvertebrados bentônicos para análise integrada da Sub-Bacia do Ribeirão Conquistinha, afluente do Rio Grande (MG, Brasil) https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7039 <p>O Ribeirão Conquistinha é um importante afluente do Rio Grande e sua sub-bacia recebe influência da ocupação urbana. Foi realizada avaliação da qualidade ambiental dessa sub-bacia utilizando macroinvertebrados bentônicos como bioindicadores, além de análises físico-químicas, microbiológicas e aplicação do Protocolo de Avaliação Rápida. Os resultados apontaram melhor qualidade das águas em regiões de mata ciliar, reforçando a sua importância na proteção do ecossistema. A redução significativa na qualidade ambiental foi observada nos locais que recebiam efluente industrial e doméstico, mostrando o seu efeito deletério sobre a comunidade biológica. Os locais com atividades rurais apresentaram qualidade da água intermediária. Assim, os resultados reforçam o uso dos bioindicadores para uma análise integrada da qualidade da água, indicando contaminação da sub-bacia e sugerindo graves impactos ambientais no metabolismo do ecossistema e na vida aquática.</p> Gabriela Nascimento Moreira, Amanda Cunha Biscalquini, Igor Augusto Vieira Gonçalves, Elcides Rodrigues da Silva, Ana Paula Milla dos Santos Senhuk, Ana Carolina Borella Marfil Anhê Copyright (c) 2024 Gabriela Nascimento Moreira, Amanda Cunha Biscalquini, Igor Augusto Vieira Gonçalves, Elcides Rodrigues da Silva, Ana Paula Milla dos Santos Senhuk, Ana Carolina Borella Marfil Anhê http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7039 qua, 20 mar 2024 00:00:00 -0300 Avaliação da atividade antimicrobiana e potencial conservante do óleo essencial de orégano (Origanum vulgare) https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7461 <p>Conservantes antimicrobianos são aditivos que retardam ou inibem o desenvolvimento de microrganismos que podem ser prejudiciais à saúde humana; há uma grande diversidade de conservantes utilizados no mercado, mas percebe-se uma tendência mundial crescente do uso de produtos e conservantes naturais. Óleos essenciais (OE) são potenciais agentes conservantes naturais, pois são metabólitos secundários sintetizados por plantas aromáticas e medicinais. Entre a espécies mais utilizadas de forma convencional para fins antissépticos, está o orégano. Apesar da grande quantidade de dados sobre a composição química do OE de orégano, verificou-se que a composição e as propriedades biológicas ainda não foram totalmente exploradas, visto que dados da literatura relatam composição diferenciada de acordo com a região cultivada. Este estudo teve como objetivo testar o potencial antimicrobiano do OE de orégano em cepas de <em>Staphylococcus</em> <em>aureus, Pseudomonas aeruginosa, Escherichia coli e Candida albicans</em>. A investigação da atividade antimicrobiana <em>in vitro</em> do OE foi testada em relação a quatro microrganismos clinicamente relevantes, utilizando o método de microdiluição. Observou-se que o OE conseguiu inibir <em>C. albicans</em> a partir de uma concentração de 0,312%; <em>E. coli</em> a partir de 0,625%, <em>S. aureus</em> a partir de 1,25% e <em>P. aeruginosa</em> &lt; 0,156%. A partir dos resultados encontrados, concluiu-se que o OE de orégano apresentou atividade antimicrobiana sobre os microrganismos estudados. Contudo, são necessárias pesquisas adicionais a fim de determinar as concentrações ideais do orégano como agente conservante, levando em consideração os fatores que afetam sua composição, assim como a quantidade dos compostos ativos presentes.</p> Priscila Abreu Pimenta, Ana Paula Sousa Silva, Gustavo Borges Andrade, Ricardo Bizogne Souto, Milleno Dantas Mota Copyright (c) 2024 Priscila Abreu Pimenta, Ana Paula Sousa Silva, Gustavo Borges Andrade, Ricardo Bizogne Souto, Milleno Dantas Mota http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7461 qua, 20 mar 2024 00:00:00 -0300 Brioflora do Parque Nacional Serra das Confusões, Piauí, Brasil https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7507 <p>A Caatinga é uma das maiores e mais biodiversas florestas tropicais secas do mundo e está restrita à região Nordeste do Brasil. No estado do Piauí, a Caatinga cobre cerca de 37% da sua área territorial e apresenta uma cobertura vegetacional heterogênea, composta por formações xerófilas e ocorrência de florestas perenifólias, subperenifolia e florestas semidecíduas. Este trabalho teve como objetivo catalogar a brioflora do Parque Nacional Serra das Confusões, uma Unidade de Conservação Integral da Caatinga localizada no sul do estado do Piauí. Foram identificadas 35 espécies de briófitas (21 musgos e 14 hepáticas), distribuídas em 18 famílias e 27 gêneros. Das espécies identificadas, 14 são novas ocorrências para o estado do Piauí. Quanto ao aspecto ecológico em relação aos grupos briocenológicos, predominou-se o rupícolo com (21 spp.), seguido do terrícolo (13 spp.), corticícolo (11 spp.) e epíxilo com duas espécies. Em relação aos grupos de tolerância à luminosidade, as espécies generalistas foram mais frequentes com 52%, enquanto especialistas de sombra foram representadas por 39% e as especialistas de sol por 9%. Foram identificadas cinco formas de vida diferentes: trama, flabelado, relva, tapete e tapete taloso. A maioria das espécies (64%) estão distribuídas na região Neotropical. Quanto a distribuição das espécies no Brasil, 58% estão amplamente distribuídas entre os estados brasileiros, 36% apresentam distribuição moderada e 6% distribuição restrita. Os resultados apresentados são contribuições relevantes para o conhecimento da flora de briófitas da Caatinga, estado do Piauí e região Nordeste do Brasil.</p> Maria Elizabeth Barbosa Sousa, Emilia de Brito Valente, Hermeson Cassoano de Oliveira Copyright (c) 2024 Maria Elizabeth Barbosa Sousa, Emilia de Brito Valente, Hermeson Cassoano de Oliveira http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7507 qua, 20 mar 2024 00:00:00 -0300 Florística, fitossociologia, estimativa de biomassa e sequestro de carbono em uma floresta de terra firme no Parque Ecológico de Gunma, Santa Bárbara, Pará, Brasil https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7626 <p>Florestas urbanas são ambientes mitigadores para os efeitos adversos da urbanização crescente nas capitais brasileiras, no entanto, a urbanização agressiva promove a fragmentação desses ecossistemas, afetando a sua dinâmica e estrutura. Diante disso, os levantamentos da diversidade e estrutura de fragmentos florestais são fundamentais para auxiliar no conhecimento ecológico desses remanescentes. Nesse sentido, este estudo teve como objetivo realizar um levantamento florístico, fitossociológico, estimar a biomassa e o sequestro de carbono em uma floresta de terra firme na região metropolitana de Belém (PA). Foram amostradas 20 parcelas de 20 × 25m de floresta de terra firme para avaliação da composição florística e dos parâmetros fitossociológicos. Foram identificados 378 indivíduos distribuídos em 77 espécies e 32 famílias na área. As cinco espécies com maior número de indivíduos foram: <em>Eschweilera coriacea</em> (DC.) S.A. Mori, <em>Eschweilera collina</em> Eyma, <em>Pourouma mollis</em> Trécul, <em>Dendrobangia boliviana</em> Rusby e <em>Inga capitata</em> Desv. A família Fabaceae foi a família com maior número de indivíduos e os maiores valores de Indice de valor de importância foram obtidos para <em>Eschweilera coriacea</em> (DC.) S.A. Mori. A biomassa florestal estimada para a área foi de 309,77 Mg.ha-1 enquanto o carbono obtido após a conversão da biomassa foi de 148,69 Mg e o teor de carbono equivalente (CO2eq) foi 545,19 Mg. Os resultados encontrados permitem uma boa visualização da estrutura e composição da área, estão em consonância com outros estudos para áreas similares na Amazônia e permitem inferir o estado de conservação e a importância ecológica do Parque Ecológico Gunma para a região.</p> Edyrlli Pimentel, Manoel Tavares de Paula, Jéssica Herzog Viana Copyright (c) 2024 Edyrlli Pimentel, Manoel Tavares de Paula, Jéssica Herzog Viana http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7626 qua, 20 mar 2024 00:00:00 -0300 Composição química do óleo essencial de genótipos de Eucalyptus suscetíveis e resistentes à vespa galhadora Leptocybe invasa Fisher & La-Salle, 2004 (Hymenoptera: Eulophidae) https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7687 <p>Os eucaliptos são árvores nativas da Austrália e são cultivadas em várias regiões do mundo. Em sua expansão mundial, vários insetos nativos e exóticos passaram a usar essas plantas para sua sobrevivência. Leptocybe invasa Fisher &amp; La-Salle, 2004 (Hymenoptera: Eulophidae) é uma vespa galhadora que põe ovos nas folhas, ramos jovens e pecíolos causando galhas. Este trabalho teve como objetivo comparar a composição química de genótipos de eucalipto e relacioná-la à resistência e suscetibilidade à formação de galhas. Os óleos das folhas foram extraídos por destilação a vapor e as composições dos óleos foram analisados. Os óleos essenciais de genótipos resistentes à formação de galhas apresentaram 12 constituintes, que não ocorrem em genótipos suscetíveis, provavelmente um dos fatores que contribuem para resistência dessas plantas à formação de galhas. Assim, sugere-se uma avaliação precoce de genótipos de eucalipto resistente ou suscetíveis, com base na composição química dos óleos essenciais dessas plantas, evitando perdas econômicas de plantio de genótipos suscetíveis.</p> José Oliveira Dantas, Vanderson dos Santos Pinto, Juliana de Oliveira Melo, Arie Fitzgerald Blank, Paulo Cesar de Lima Nogueira, Genésio Tâmara Ribeiro Copyright (c) 2024 José Oliveira Dantas, Vanderson dos Santos Pinto, Juliana de Oliveira Melo, Arie Fitzgerald Blank, Paulo Cesar de Lima Nogueira, Genésio Tâmara Ribeiro http://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://scientiaplena.org.br/sp/article/view/7687 qua, 20 mar 2024 00:00:00 -0300