A aprendizagem através de experimentos no Ensino de Física

Autores

  • Roberto Nazareno da Silva Gonçalves Faculdade de Engenharia Mecânica/Instituto de Geociências e Engenharias, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará
  • José Elisandro de Andrade Faculdade de Engenharia Mecânica/Instituto de Geociências e Engenharias, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará http://orcid.org/0000-0002-3147-2313
  • Raquel Aline Pessoa Oliveira Colegiado de Engenharia Elétrica, Universidade Federal do Vale do São Francisco

DOI:

https://doi.org/10.14808/sci.plena.2017.012709

Palavras-chave:

Experimentação, Ensino de Física, Ensino Superior

Resumo

A experimentação é sem dúvida um dos grandes pilares da Física e uma importante forma de fomentar o processo de ensino-aprendizagem contextualizado e dinâmico. Entretanto, a experimentação por si só, sem uma reflexão profunda do fenômeno, sem dar a oportunidade do discente questioná-lo e construir a visão do mundo pode ser uma pseudo-aprendizagem. De maneira geral pontuaremos sobre as motivações, as condições e possíveis contribuições da experimentação no Ensino de Física.

Biografia do Autor

Roberto Nazareno da Silva Gonçalves, Faculdade de Engenharia Mecânica/Instituto de Geociências e Engenharias, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Graduando em Engenharia Mecânica pela Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Bolsista de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq), atuando no projeto de "Construção e Determinação de Parâmetros do Funcionamento de um Spin Coater". Presidente do Centro Acadêmico da Engenharia Mecânica (CAEM/Unifesspa). Faz parte do Comitê Executivo do evento Semana Acadêmica da Engenharia Mecânica (SAEM) na Unifesspa.

José Elisandro de Andrade, Faculdade de Engenharia Mecânica/Instituto de Geociências e Engenharias, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Doutor (2012) e Mestre (2008) em Física da Matéria Condensada, Bacharel em Física Médica (2006) e Licenciado em Física (2011) pela Universidade Federal de Sergipe (UFS), Especialista em Docência no Ensino Superior pela Estácio/FaSe (2009). Atualmente atua como Professor do Magistério Superior no Curso de Graduação em Engenharia Mecânica da Faculdade de Engenharia de Materiais (FEMAT) do Instituto de Geociências e Engenharias (IGE) da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa). Docente do Programa de Pós-Graduação em Engenharia Industrial (PPGEI) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Docente do Mestrado Nacional Profissional em Ensino de Física (MNPEF/Unifesspa). Tem experiência na área de Física com ênfase em Ensino de Física e Nanomateriais, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino de Física; Síntese, caracterização e modificação de nanopartículas de prata. Polímeros. Coordena Projetos de Pesquisa e Extensão. Trabalha com as seguintes técnicas de caracterização: Microscopia de Tunelamento de Elétrons (STM), Microscopia de Força Atômica (AFM), Espectroscopia UV-Vis, Espectroscopia Raman e Espalhamento Dinâmico de Luz (DLS) 

Raquel Aline Pessoa Oliveira, Colegiado de Engenharia Elétrica, Universidade Federal do Vale do São Francisco

Doutora em Física da Matéria Condensada (2012), possui mestrado em Física (2009) e licenciatura em Física (2007) pela Universidade Federal de Sergipe. Especialista em Docência do Ensino Superior pela Faculdade de Sergipe (FASE). É professora adjunta vinculada ao Colegiado de Engenharia Elétrica da Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF). Docente permanente do programa de pós-graduação em Ciências dos Materiais da UNIVASF e do Programa Nacional de Mestrado Profissional em Ensino de Física (MNPEF). Atua principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento e caracterização de materiais, detectores de radiação e metrologia das radiações ionizantes. Coordena as atividades do Grupo de Física dos Materiais Luminescentes (LuMat) na UNIVASF.

Downloads

Publicado

2017-01-13

Edição

Seção

I Workshop sobre pesquisas na Amazônia e I encontro do MNPEF da Unifesspa